REVIEW: A Morte te dá Parabéns 2

CinemaDestaqueNotíciasReviews

REVIEW: A Morte Te Dá Parabéns 2

 

Com o sucesso de bilheteria de ‘A Morte Te Dá Parabéns’ lançado em 2017, não demorou muito para que os produtores da BlumHouse anunciassem uma continuação. O longa contou com um orçamento baixíssimo e surpreendeu a todos faturando mais de US$ 125,5 milhões deixando claro de que veríamos uma segunda parte por ai.
Dirigido novamente por Christopher Landon (Roteirista de Atividade Paranormal), o diretor também assumiu o papel de roteirista na sequência.

Começando exatamente a partir do fim do primeiro, Tree (Jessica Rothe), que havia acabado de se livrar do loop do ciclo temporal em que morria inúmeras vezes, acaba entrando novamente na mesma situação após um acidente com uma experiência científica na faculdade. Quando morre, acorda na cama do Carter Davis (Israel Broussard) novamente e reinicia o seu dia. Só que desta vez, Tree está em uma dimensão diferente em que Carter não é o seu namorado e sua mãe está viva!

Em meio a tantos questionamentos como escolher retornar para a sua realidade ou viver com sua mãe em uma paralela, a garota precisa lidar mais uma vez com a perseguição de um assassino com máscara de bebê.
Escolhendo cometer suicídios várias vezes (E divertidamente), Tree tomou esta atitude para ‘estudar’ e obter informações suficientes para Ryan (Phi Vu), Samar (Suraj Sharma) e Dre (Sarah Yarkin) colocarem para funcionar a máquina que causou todo esse problema dimensional.

Um dos suicídios mais divertidos de Tree no filme

O filme é repleto de teorias de ficção científica e referências a filmes clássicos como ‘Feitiço no Tempo’ e ‘De Volta Para o Futuro’, mas o maior destaque fica para a máquina que altera o ciclo temporal criado pelos estudantes na faculdade. Aparentemente o equipamento foi inspirado em ‘The Flash’ com o acelerador de partículas e todo o time do Star Labs.

Diferente do primeiro, a sequência de’ A Morte de dá Parabéns’ quase não possui cenas de terror e muito menos abusa de jump scare. O que se sobressai desta vez é o tom de comédia e o aprofundamento dos personagens.

Vale citar o amadurecimento de Tree. A garota aprendeu na marra com os loops atemporais. Passou a ter um relacionamento amoroso e a tratar melhor as pessoas, além de ter um relacionamento melhor com sua família. Mérito da atriz Jessica Rothe, que entregou novamente uma atuação expressiva onde conseguiu mostrar em tela a enxurrada de sentimentos diferenciados a partir de cada acontecimento icônico em que foi obrigada a viver na trama.

Por fim, ‘A Morte te dá Parabéns’ 2 funciona como um bom entretenimento que diverte, amarra as pontas soltas e inova com um roteiro que sai da mesmice onde tudo se baseava no loop do ciclo temporal.

FICHA TÉCNICA:

  • Título original: Happy Death Day 2U
  • Nacionalidade: EUA
  • Gêneros: Comédia, Terror
  • Ano de produção: 2019
  • Estréia: 21 de fevereiro de 2019 (Brasil)
  • Duração: 1h 40min
  • Classificação: 14 anos
  • Direção: Christopher Landon
  • Roteiro: Christopher Landon, Scott Lobdell
  • Produção: John Baldecchi, Doug Barry, Jason Blum, Angela Mancuso, Samson Mucke, Ryan Turek, Erin Vitali
  • Trilha sonora: Bear McCreary
  • Direção de fotografia: Toby Oliver
  • Edição: Ben Baudhuin
  • Design de produção: Bill Boes
  • Direção de arte: Jason Baldwin Stewart
  • Decoração de set: Andrew W. Bofinger
  • Figurino: Whitney Anne Adams
  • Estúdios: Blumhouse Productions, Digital Riot Media
  • Distribuição: Universal Pictures

Trailer oficial:


product-image

A Morte te dá Parabéns 2

7.5