Review: La La Land – Cantando Estações

Um musical romântico e engraçado que consegue ser também surpreendente.

Logo na cena inicial se consegue identificar o tom do filme: Dançarinos pulando e cantando empolgadamente e cenários muito coloridos.
Como é de se esperar, o filme tem um ar romântico que sempre fala em correr atrás de seus sonhos.

Os protagonistas, Sebastian (Ryan Gosling) e Mia (Emma Stone), que se encontram pela primeira vez no engarrafamento da cena inicial são ambos sonhadores em viver de sua arte.

Ryan Gosling (Sebastian) e Emma Stone (Mia)

Mia é balconista e sonha em ser atriz, enquanto Sebastian é pianista e quer abrir um club de Jazz. Aos encontros e desencontros, os dois se ajudam para que ambos conquistem seus desejos.

Como se passa em Los Angeles, é de se esperar pessoas com tais ambições. Porém, é retratado de forma realista e triste, porém otimista.

E com esse clima o filme segue, mostrando a batalha de ambos. Entre os altos e baixos o filme se encaminha com mais cenas musicais.

A fotografia e os cenários se completam transmitindo uma leveza e aconchego a quem assiste. E conforme o avançar do filme, tudo vai se transformando, mas nunca abandonando a parte cartunesca.

As cenas musicais não transmitem vergonha alheia, como outros musicais, elas são empolgantes, bem coreografadas, bonitas e com contexto para a história.

Um musical que vai muito além sobre a carreira, é um retrato da vida. Sendo alegre e triste, ainda consegue ser diferente e com um fim surpreendente.

O filme que levou 7 prêmios no último Globo de Ouro faz jus aos troféus e tem folego para mais.

REVIEW GERAL
La La Land - Cantando Estações
Compartilhe