Antes de tornar-se Mulher-Maravilha, ela era Diana, princesa das Amazonas, treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa isolada ilha paradisíaca, Diana descobre que um grande conflito assola o mundo quando um piloto americano cai com seu avião nas areias da costa. Convencida de que é capaz de vencer a ameaça de destruição, Diana deixa a ilha. Lutando lado a lado com homens numa guerra que pretende acabar de vez com todas as guerras, ela vai descobrir todos os seus poderes… e seu verdadeiro destino.

 

A DC finalmente acerta nos cinemas, “Mulher Maravilha” tem tudo o que o público esperava e ainda mais.

Mulher Maravilha” conta como a princesa amazona se tornou heroína, e no final do filme é mostrado como ela se junta a Liga da Justiça (Próximo filme da DC).

O longa tem o equilíbrio certo de ação, drama e alivio cômico. E o plot twist totalmente inesperado deixa os espectadores no chão. As cenas da heroína em combate tira o fôlego do público com belos e sensacionais efeitos especiais, abusando do slowmotion para dar bastante destaque nas cenas de luta.

A trilha sonora acompanha as cenas no ritmo certo e de forma suave. Gal Gadot e Chris Pine formam um bela dupla de atuação, seus personagens tiram risos e fazem os espectadores os amarem.

Já o vilão da trama Ares, é extremamente idêntico da mitologia grega o problema é o CGI  exagerado nos ápices da luta final da heroína contra Ares.

Mulher Maravilha estreia hoje (01 de novembro),

 

REVIEW GERAL
Mulher Maravilha
Compartilhe